• Você está em: 
  • Home
  • Notícias

17/05/2019 - EFETIVO REDUZIDO PREOCUPA POLICIAIS NAS DELEGACIAS

NAS DELEGACIAS BAIXO EFETIVO PREOCUPA 

Equipe do Sinpol, conversa com policial na Decradi

O SINPOL continua percorrendo as delegacias da cidade, entregando o jornal da categoria e ouvindo as queixas e sugestões dos policiais. Na última quarta-feira (14/05) a equipe tendo à frente o inspetor Pedro Jesuíno – ex-instrutor de tiro da Academia de Polícia – com o colaborador Geordane Souza, motorista Katião e assessor de imprensa, Cláudio José, estiveram visitando 16 unidades policiais do Centro, Grande Tijuca e São Cristóvão: DCAV / DPCA / DECRADI, DEAM Centro, 6ª DP, Acadepol, ICCE, 17ª DP São Cristóvão, 18ª Praça da Bandeira, Depósito de Evidências, Abastecimento, G2 Garagem, Divisão de Transportes, 19ª DP Tijuca, 20ª DP Vila Isabel e IML. Todas com efetivo reduzido e sem o pessoal terceirizado que atendiam no balcão e faziam a limpeza das DPs.

    Se os mais velhos se aposentarem, a delegacia fecha, diz comissário

Na Delegacia de Vila Isabel, o comissário Nelson disse à equipe que a delegacia opera em estado de penúria – falta material de escritório, de limpeza e ar condicionado sem manutenção. Entretanto, o mais grave em sua opinião, é a falta de efetivo que dificulta o trabalho da delegacia. “Temos no total uns 35 policiais na unidade, incluindo três que estão de licença médica. Dos 32 que efetivamente trabalham no expediente e plantão pelo menos 15 estão em idade de se aposentar”, informa o comissário acrescentando: “Se todos pedissem à aposentadoria ao mesmo tempo a delegacia fechava, pois não teríamos funcionários suficientes para mantê-la funcionando,” desabafa o comissário da 20ª DP Vila Isabel.

Na DP de Vila Isabel metade do pessoal está pra se aposentar

                            Policial hipertenso reclama da falta do elevador

Já na DPCA/DCAV/DECRADI, no Centro, os policiais foram unânimes em dizer que trabalham com um efetivo reduzidíssimo. Um comissário desse agrupamento de delegacias – que pediu para não ser identificado – e que é diabético e hipertenso, reclamou do elevador que não funciona por falta de manutenção, apesar do prédio de três andares ter sido inaugurado em dezembro do ano passado. Em março, o equipamento deixou de operar depois que recebeu uma sobrecarga de passageiros. “Uma peça enguiçou e a empresa que fazia a manutenção não fez a reposição – em seguida deixou de prestar serviço por falta de pagamento do estado”, disse o policial civil.

O prédio foi reformado, mas o elevador não funciona na DPCA

Delegada Ana Helena, da 19ª DP, recebe o jornal do                                                                                                inspetor Pedro Jesuíno, do Sinpol